sexta-feira, 22 de abril de 2011

PROJETO AQUECE CORAÇÃO - (COMO TUDO COMEÇOU)

O ¨Projeto Aquece Coração¨é a realização de um sonho.
Tudo começou com minha mãe, que em 1960, após passar por uma cirurgia de câncer de mama, resolveu que dedicaria parte do seu tempo para os mais necessitados.
Eu tinha 5 anos na época, e cresci vendo minha mãe¨Olga¨ tricotando sapatinhos para os bebês que nem tinham o que vestir quando nasciam.
Cresci, fui para a faculdade e no Segundo Ano, tive que optar entre Serviço Social e Sociologia. Optei por Sociologia, porque sempre acreditei que era preciso ajudar, mas para isso era tamb´´em preciso unir a comunidade, traçar políticas de envolvimento para que houvesse uma troca.
Muito tempo se passou, e em 2008 resolvi tornar meu sonho realidade.
Como faço parte de um local que oferece condicionamento físico e outras atividades do género, resolvi pedir para colocar um aviso pedindo novelos de lã em doação para que eu e minha irmã pudéssemos tricotar gorros, para os pacientes do Hospital Amaral Carvalho, de Jaú, hospital este que atende pacientes com câncer daqui da minha cidade - Araras e de todo país.
Abraçaram a minha causa, e me convidaram para ensinar a fazer esses gorros para as mulheres que tivessem interesse.Então toda 5a. feira, nos reuníamos para tricotar.
No final de 2 ou 3 meses, juntamos 150 peças e conseguimos levar pessoalmente para o hospital.
Foi muito bom conhecer aquele local, onde anjos sobrevoam 24 horas.Tantas pessoas doentes, mais um ambiente de paz e esperança.
Voltei animada, e comecei a pensar em algo maior.Lancei a ideia, algumas companheiras já me procuraram e se interessaram.
Surgia a primeira dificuldade, um local para os encontros semanais que fosse central, pois a maioria das pessoas moram em bairros distantes.
Comecei pela Prefeitura, local que trabalhei por mais de 25 anos e lá me aposentei. Não deu certo.
Aí, conversei com uma grande amiga ¨Nena¨, proprietária da Escola Técnica de Comércio de Araras e ela e seu marido Waldir, na hora toparam ceder uma sala de aula, toda 2a. feira, no período da tarde, para nossas reuniões.
O grupo é formado por mulheres que gostam de fazer tricô e croché, algumas são voluntárias à distância, outras participam pelo prazer de ajudar e outras ainda fizeram desse prazer o remédio para cura da depressão.
Toda semana, estamos juntas trocamos receitas, quando alguém tem dúvidas, uma ajuda a outra.
No dia 09 de fevereiro de2009, fizemos nossas primeira reunião e aí começamos a pensar num nome para o projeto.
Elegemos PROJETO AQUECE CORAÇÃO - aquece o coração de quem doa e de quem recebe.
Sobrevivemos de doações e cada uma de nos contribui com um valor para a compra de lã.
Produzimos gorro, pantufa, cachecol. manta para cadeirante, sapatinhos e casaquinhos para bebê.
Distribuímos para o Hospital Amaral Carvalho - Jaú, Clínica Psiquiátrica Sayão - Araras, Quimioterapia do Hospital São Luiz - Araras e também para grupos que montam enxovais de bebê para gestantes carentes.

2 comentários:

  1. Querida Matilde (posso chama-lá assim?) para mim foi uma alegria enorme receber sua mensagem hoje, 26 de junho.
    Conhecer o projeto que você idealizou e que você e as voluntárias realizam deixou meu coração feliz e me encheu de esperança pois o sonho e a vontade de realizar um trabalho tão lindo como o de vocês me persegue a anos.
    Parabéns!!!
    Desejo que este trabalho cresça a cada dia e que as doações se multipliquem para que muitos e muitos corações sejam aquecidos pelos pontinhos saídos das mãos abençoadas de todas vocês!

    Um beijo no seu coração,

    p.s. se for possível me envie seu e-mail Matilde para que eu possa lhe escrever pedindo algumas orientações.

    ResponderExcluir
  2. Vi o seu blog inteiro. Além dos lindos trabalhos, o objetivo desse grupo é maravilhoso. Faço roupinhas de bebê em tricô e crochê porque gosto. É um hobby. Quando tiver uma quantidade razoável, mando para vocês. Independente disso, gostaria de doar umas lãs. Poderia enviar-me um endereço? O meu e-mail é: mariagoretticrj@ gmail.com.
    Abraço a todas as senhoras do grupo. Maria Goretti

    ResponderExcluir